Alta Performance Auto

Alta Performance Auto: Oficina especializada em injecção electrónica aberta hoje no Mindelo

O mercado mindelense passa a contar a partir desta quinta-feira com uma oficina auto especializada na resolução dos problemas de injeção electrónica dos carros modernos. Este espaço vai também trabalhar com as viaturas mais antigas, mas a aposta do jovem empreendedor Edson Andrade é o segmento dos automóveis computadorizados que têm entrado em grande quantidade em Cabo Verde, em particular na cidade do Mindelo. Aliás, este “visionário” já está a antecipar a chegada dos carros eléctricos, a nova geração dos transportes a nível mundial. 

A ideia da criação da empresa Alta Performance Auto surgiu na sequência de um curso específico sobre os sistemas de injecção electrónica realizado na Organização Nacional da Diáspora Solidária (ONDS) e, após investimentos em equipamentos especializados e no espaço físico, Edson Andrade sente-se pronto para começar a receber os clientes.

“Essa formação foi uma mais-valia, muniu-me de conhecimentos que me encorajaram a ter esta iniciativa. Há um espaço no mercado para este serviço especializado por isso decidi abrir esta oficina”, explica Andrade, natural do Fogo, que não pretende ficar por aqui já que o seu plano é reforçar os conhecimentos e preparar-se para a chegada dos eléctricos.

Edson Andrade, jovem empreendedor da ilha do Fogo

O foco principal, neste momento, é a injecção electrónica, um sistema de controlo do consumo de combustível e performance dos motores e que, diz, costuma afectar os automóveis em Cabo Verde. E este tipo de desafios, acrescenta, exige conhecimento técnico específico. Por isso, a sua oficina vai estar equipada com computadores e programas destinados a detectar e apresentar soluções para os problemas. O espaço, assegura Andrade, terá scanner automotivo para diagnóstico computadorizado e pode também trabalhar com os automóveis automáticos. 

Edson Andrade pretende marcar a diferença tanto pelo serviço especializado como pela qualidade. É neste sentido que estabeleceu uma parceria com a petrolífera Enacol, que lhe permite usar e comercializar a última gama de lubrificantes da marca Galp. Estes produtos, assegura, destinam-se aos motores modernos, pois diminuem o gasto de combustível e melhoram o desempenho dos automóveis.

A Alta Performance Auto não vai restringir o seu serviço aos carros modernos. Tal como outras oficinas irá trabalhar com as viaturas mais antigas, resolver problemas mecânicos, fazer trocas de peças, de óleo e de filtro. Além disso, está preparada para fazer uma pré-inspecção do estado do carro, antes deste ser levado para a ITAC. 

O ponto de honra da empresa é, no entanto, a transparência. Edson Andrade assegura que vai fazer orçamentos para os trabalhos mais exigentes e que só fará o trabalho permitido pelos donos dos carros. Em caso de troca de peças, a empresa irá apresentar provas em vídeo ou fotografias. 

 2,176 total views

Artur Correia 2

Sistema de Vigilância eficaz na detecção precoce dos casos de covid -19

O Director Nacional de Saúde garante que o Sistema de Vigilância Sanitária está a funcionar muito bem e está a ser eficaz na detecção precoce dos casos suspeitos de coronavirus em Cabo Verde. Artur Correia fez esta declaração na conferencia de imprensa proferida pelo ministro da Saúde hoje na cidade Praia, em que se confirmou o primeiro caso importado de covid-19 na capital. 

Correia sinalizou este caso em concreto para testar a eficácia do Sistema Nacional de Vigilância que “tem dado provas”. “Este caso que apareceu é importado. Mas é a primeira vez que temos um caso importado por um cabo-verdiano e o primeiro na cidade da Praia.  Foi detectado – estamos a falar de uma pessoa que estava em isolamento domiciliar e que chegou no país antes da medida do Governo de quarentena obrigatória -, medidas adoptadas e o resultados aos testes foram conhecidos no mesmo dia”, exemplificou. 

Este mesmo cuidado está a ser dispensado às 200 pessoas repatriadas do estrangeiro – EUA, Portugal e Brasil – e que chegaram ontem no país. De acordo com o DNS, estas pessoas estão colocadas em hotéis na cidade da Praia e na ilha do Sal e têm acompanhamento próximo, assim como foi feito ao cidadão, residente em São Filipe e que testou positivo para o covid. 

Paralelamente, foi reforçado a Linha Verde – 800 11 12 – com mais três profissionais de saúde que, segundo Correia, têm a responsabilidade de fazer a triagem dos casos que são repassados aos médicos na retaguarda. “A partir de amanhã pretendemos introduzir nesta linha de apoio com Psicólogos. Temos nesta linha, em primeiro lugar, os enfermeiros, que vão ser apoiados por Psicólogos da rede pública de todo o pais e que se prontificaram a dar o apoio necessários aos profissionais de saúde, mas também às pessoas que estão em seguimento e a população em geral”, assevera. 

Isso porque, no entender de Artur Correia, a situação resultante do coronavírus e a consequente mediatização a nível internacional causa ansiedade nas pessoas. A ideia é fazer com que as pessoas vivenciam este período conturbado com serenidade e acatem as medidas anunciadas pelo ministério da saúde e pelo Governo. 

Quanto aos óbitos por coronavirus, o DNS informa que as delegacias de saúde em todas as ilhas já têm na sua posse as as normas e procedimentos que devem ser seguidas. Estas indicam, por exemplo, que os funerais das vitimas do covid -19 devem ser assistidos por no máximo 20 pessoas.

 1,003 total views

Albert Uderzo

Morreu Albert Uderzo, um dos criadores da célebre personagem de Astérix

Morreu esta terça-feira, aos 92 anos, Albert Uderzo, o ilustrador francês que criou, junto com René  Goscinny, a banda desenhada “Asterix”. O anuncio foi feito pela família do desenhista.

Albert Uderzo morreu enquanto dormia em sua residência de Neuilly, nas proximidades de Paris. De acordo com a imprensa francesa, o ilustrador sofreu um ataque cardíaco. “Estava muito cansado há varias semanas” revelou o genro, Bernand de Choisy, à AFP. 

Uderzo criou com Goscinny os quadrinhos de Asterix e Obelix em 1959. Seis décadas mais tarde, 370 milhões de exemplares foram vendidos em todo o mundo, traduzidos para 111 línguas e dialetos. 

Ao lado de Goscinny, falecido em 1977 aos 51 anos, Uderzo publicou 24 álbuns. Durante muito tempo, foi contrário à criação de novas histórias após a morte do amigo, mas acabou mudando de ideia. Em 2011, passou o bastão a autores mais jovens, supervisionando o trabalho.

Fonte: AFP

 470 total views,  2 views today

NANDO DA CRUZ00

Nando da Cruz promete animar cabo-verdianos com CD após crise do Covid-19

O músico, compositor e intérprete cabo-verdiano Nando da Cruz tem em preparação um novo trabalho discográfico. O cantor confirmou esse dado quando foi desafiado por “Mindelinside” a revelar quando poderá lançar um novo trabalho. Nesta entrevista feita através do “messenger”, devido as medidas de restrição, Cruz mostrou-se preocupado com o impacto do Covid-19 e apelou à solidariedade dos cabo-verdianos nesta luta pela erradicação da pandemia.

“O disco está na forja e a ser trabalhado” fez saber este cantor cabo-verdiano nascido na ilha de S. Vicente em Julho de 1965. Em conversa com o Mindelinsite, o artista sobejamente conhecido em Cabo Verde e na diáspora indicou que inicialmente estava a pensar lançar um CD com 10 músicas, mas que, dado ao pedido de vários fãs, optou por avançar apenas com quatro canções, sendo duas Coladeiras, um Semba e um Funaná, todas da sua autoria.

O cantor disse-nos ainda que as outras canções que deviam constar do CD, mas que não foram incorporadas neste trabalho, ficarão para uma próxima obra. Cruz, que não precisou a data do lançamento da obra, deixou transparecer que a crise sanitária e social provocada pelo Covid-19 levou à suspensão das gravações. “Tendo em conta o rumo das coisas, as previsões estão a apontar para o final do ano”, fez saber Nando da Cruz.

A obra, cujo título não foi revelado, tem a direção musical do compositor e tecladista Manú Lima e ainda contará com a participação dos quatro músicos dos instrumentos de sopro que costumam gravar com os Kassav. 

Instado a pronunciar-se sobre o género musical  “Colá love”,  o artista “mindelense de gema” explica que foi uma denominação atribuída em Portugal quando lançou a música “Ribeira d’Paúl” em 1992. Posteriormente este estilo musical, de acordo com Nando da Cruz, viria a ser apelidado de “Cabo Love”.

Situação actual muito preocupante

Este artista, que se considera um guerreiro nato, mostra-se bastante preocupado com a situação actual que se vive no mundo devido ao impacto do Covid-19 na vida das pessoas. Para ele, a humanidade está a travar uma “guerra” que será vencida com a união de todos. Por isso apelou à solidariedade de toda a gente e que as pessoas não deixem a resolução do problema nas mãos do Governo.

“É hora de nos unirmos neste combate, não podemos deixar nenhuma ilha sozinha; temos de arranjar medidas adequadas de apoio da parte tanto das pessoas particulares como das empresas e instituições”, desafiou o compositor de “Cabo Verde Querida” e “Badia na Baia”. Este aproveitou o ensejo para pedir as pessoas para ficarem em casa e seguirem todas as instruções das autoridades sanitárias.

Vida entre futebol e música

Nando da Cruz reside em Paris ( França) é autor, compositor, cantor e realizador, tendo emigrado aos 14 anos para Portugal. A expectativa inicial era ser futebolista profissional, tendo jogado nos iniciados da equipa de Almada e nos juvenis da Cova da Piedade.

Foi em Almada, junto da Associação “Cretcheu” que começou a mostrar os seus dotes de cantor. Em 1981 foi residir em Paris, onde lançou em 1987 o seu primeiro disco “Baiana”, seguido de  “Cabo Verde Querida” (1992),   “Sheila” (1994), “Soraya” (1997) e “Badia na Baia”, em 2001. Por último, o Best Off Nando da Cruz (2008) quando os seus fãs o apelidaram de o Pai do “ Colá Love”.   

Nando da Cruz já compôs para vários artistas, nomeadamente, a diva  Cesária Évora, com “Petit Pays”,  “Africa Nossa”, “Mãe Velha”, “Badju Sabi” , “Tchon d’França”, “Esperança” e “Dnhirim  d’Reforma”. Também tem composições interpretadas por Dina Medina, Manú Lima, Rene Cabral, Esmaelo, Joel e  Maty.

 Em 2004 produziu um CD para as criança desfavorecidas em Cabo Verde intitulado (Crianças di Terra), juntamente com vários artistas nacionais. Dois anos depois homenageou o saxofonista Luís Morais, com a colaboração de outros artistas. Em 2016 viria a lançar “Crianças di Terra 2”, em parceria com o músico Quim Alves.

 Nando da Cruz já actuou em vários palco, nomeadamente França, Estados Unidos, Bélgica, Itália, Portugal, Espanha, Suíça, Luxemburgo,  Cabo Verde, Senegal e Angola.

João do Rosário (Portugal)

 1,586 total views,  2 views today

Pedro Santana Guarda Costeira

Barco proveniente da Boa Vista em quarentena na Praia e dois pescadores detidos no Maio

Uma embarcação que chegou à ilha de Santiago proveniente da Boa Vista foi colocada de quarentena, na sequência das operações de controlo em curso e que envolvem uma equipa constituída pela Guarda Costeira, o IMP, a Polícia Marítima e Inspeção das Pescas. Em conferência de imprensa na cidade do Mindelo, o comandante Pedro Santana adiantou ainda que dois pescadores provenientes de Santiago foram detidos na ilha do Maio por estarem a transportar passageiros, prática proibida por lei. Santana enfatizou que os infractores podem ser presos e as embarcações apreendidas, ainda mais neste período de emergeencia sanitária provocada pelo Convid-19.

Neste momento, as atenções das autoridades marítimas estão centradas no controlo da movitação na ilha da Boa Vista, que está de quarentena devido aos três casos de contágio pelo novo coronavírus detectados em turistas hospedados em dois hotéis. Como salienta Pedro Santana, a ilha esta a ser alvo de uma operação marítima de interdição, pelo que ninguém sai, ninguém entra. Desde que foi decretada a quarentena que, segundo o militar, nenhum barco saiu da ilha das dunas.

“Estamos a fazer de tudo para não haver entrada nem saída de barcos da Boa Vista. Os que saíram (antes da quarentena) estão a ser controlados”, garante o Comandante da Guarda Costeira, acrescentando que só são permitidas operações na ilha das dunas com navios de abastecimento de combustível e bens de primeira necessidade. Segundo Santana, militares e outras autoridades estão a usar meios marítimos e pedestres na Boa Vista, Maio, Santiago e Sal para fiscalizar a aplicação das medidas de quarentena. O navio Guardião está a ser usado para controlar a saída e entrada de barcos na zona Sul da Boa Vista e que possam ter como destino outras ilhas.

Quanto à informação de que há pessoas em Santa Cruz – Santiago – regressadas da Boa Vista nos últimos dias, Pedro Santana adianta que cinco indivíduos foram identificados pelas autoridades e passaram a estar monitorizados. Estes viajaram de barco, mas antes da imposição da quarentena à ilha da Boa Vista. 

KzB

 1,848 total views

Garrafas Gas

Corrida às garrafas de gás: Petrolíferas Enacol e Vivo Energy acalmam os ânimos

A corrida às garrafas de gás devido as medidas de contingência relativas à pandemia do Covid-19 levou a Enacol a emitir um comunicado para acalmar os ânimos. Apesar da apreensão colectiva, a petrolífera assegura ter estoque suficiente para abastecer o mercado nacional e apela às pessoas para comprarem apenas a quantidade necessária de modo a evitarem o açambarcamento do produto. “Neste contexto, tem-se verificado nos últimos dias uma grande afluência por parte dos nossos clientes aos Postos de Venda para compra e contratos de garrafas de gás. Assim, é com elevado sentido de responsabilidade social que a Enacol vem a público informar e esclarecer que, em termos de abastecimento de Gás Butano possui em todas as ilhas uma rede de revendedores desse produto, para além de o ter à venda nos seus postos de venda, dispondo em quantidade suficiente para continuar a garantir o fluxo de fornecimento ao país”, afirma a empresa acentuando que essa demanda excepcional tem gerado desordem nos locais de venda com aglomeração de pessoas, algo desaconselhável nesta conjuntura.

Além disso, a petrolífera relembra que o armazenamento de várias botijas em casa pode comprometer a segurança das famílias. Conforme o comunicado, a prioridade da empresa é garantir a segurança dos clientes e da comunidade, pelo que recomenda o cumprimento das recomendações na luta contra a propagação do vírus. A empresa termina a sua comunicação assegurando que estará sempre a repor o stock de gás butano e a garantir as necessidades de todos.

A Vivo Energy também constatou um aumento da procura de garrafas de gás butano nos seus postos de venda em todo o país e, segundo o Expressodasilhas, garantiu que o stock neste momento é suficiente para assegurar o normal fornecimento à população. A petrolífera assegura que não há neste momento quaisquer constrangimentos ou restrições na importação do produto pelo que não antevê escassez ou rotura em Cabo Verde de gás. A empresa, conforme esse jornal, aproveita para pedir aos consumidores para entregarem as garrafas vazias sem utilização por forma a poder aumentar a oferta.

KzB

 845 total views

Mandatory Credit: Photo by Anonymous/AP/Shutterstock (6600143a)
Kenny Rogers performs at the Country Music Awards in Nashville, 1977
Kenny Rogers 1977, Nashville, USA

Morreu o cantor country Kenny Rogers

Faleceu Kenny Rogers, o cantor country que celebrizou a balada romântica We’ve got tonight, em dueto com Sheena Easton. Rogers morreu de causas naturais aos 81 anos de idade. Era conhecido pela sua voz rouca e cabelos grisalhos e o seu estilo country, que considerava ser o blues dos brancos norte-americanos.

O astro fez uma carreira musical de sucesso que durou seis décadas e incluiu hits como “The Gambler” e “Coward of the county”. “Rogers partiu em paz, em casa. Ele morreu de causas naturais, cercado por seus entes queridos”, disseram os familiares em comunicado divulgado hoje à imprensa. A família indicou que será organizada uma cerimónia de despedida íntima, sem que esta decisão esteja relacionada com “a situação de emergência causada pela pandemia de Covid-19”.

Kenny Rogers deixa uma marca indelével na história da música americana, “com músicas que tocaram a vida de milhões de pessoas em todo o mundo”, disse seu representante, Keith Hagan.

O cantor, também conhecido mundialmente por hits como “Lucille” ou “Islands in the Stream”, ganhou três prêmios Grammy e vendeu dezenas de milhões de discos em todo o mundo.

 982 total views

Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

Bolsonaro: “Depois da facada não será uma gripezinha que me vai derrubar”

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro voltou a minimizar a gravidade do novo coronavírus, apesar das provas do nível de contágio apresentado pelo Covid-19 e das suas consequências no estado de saúde dos infectados. Ontem, ao ser indagado sobre a sua situação clínica, Bolsonaro respondeu que, depois da facada que recebeu no início da campanha presidencial, não será uma “gripezinha” que o vai derrubar.

A saúde de Bolsonaro vem sendo alvo de especulação depois que pelo menos 22 pessoas que tiveram contato com o presidente durante uma viagem aos Estados Unidos testaram positivo para a doença. Nos últimos dias, Bolsonaro anunciou que se submeteu a dois exames e que ambos deram negativo.

Questionado sobre se, diante do número de pessoas que testaram positivo para a doença e que tiveram contato com ele, Bolsonaro disse que poderia se submeter a um novo exame, de acordo com orientação médica.

No Brasil, pelo menos 904 foram infectadas e onze já morreram. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença já infectou 209 mil pessoas e matou 8,7 mil.

C/imprensa brasileira

 689 total views

www.rabebennesby.com.br

Covid-19: Comunidade cabo-verdiana em Portugal apreensiva, triste e melindrada

A situação vivida neste momento em Portugal e no mundo é melindrosa e triste. Apesar de não ter tido a consciência da gravidade do Covid-19, logo no seu início, a Comunidade cabo-verdiana radicada neste país foi paulatinamente tendo a noção da dimensão da Pandemia. Agora vive com uma ansiedade à flor da pele, que transparece à vista desarmada num momento em que é declarado o Estado de Emergência em Portugal.

Por João do Rosário (Portugal)

Em tempos de crise, os cabo-verdianos sempre souberam dar a volta à situação mas, neste momento, a comunidade crioula radicada em Portugal não vê forma de controlar a “encruzilhada” inicial imposta pela pandemia da infeção do novo Coronavírus Covid- 19. Apesar disso, e como em tudo a “esperança é sempre a última a morrer”, vão manifestando a sua fé no sentido de que possa ser descoberta uma vacina capaz de prevenir e reduzir a eventualidade de contágio por esse novo Coronavírus.

Essa é a opinião de um elemento da comunidade, Jorge Lopes, mais conhecido por Guintche, que vai dizendo que, mesmo em situação de crise, é sempre mais difícil cair na realidade, admitindo a condição de o cabo-verdiano ser, por natureza, muito otimista e caminhar com muita persistência e perseverança com os olhos postos sempre em frente. “Gente ta bá ta trá li ta pó lá e bá ta levá vida”, parafraseou Jorge Lopes Guintche, em cabo-verdiano.

Este filho das ilhas disse ter a noção dos perigos desta epidemia, mas, como trabalha numa empresa de abastecimento de um supermercado, admite correr poucos riscos, já que, por integrar o turno da noite, não se cruza com aglomerado de pessoas, situação diferente com que se deparam os colegas que laboram durante o dia.

 Lopes fez saber ainda que aos fins-de-semana tem uma outra atividade que se prende com a animação de festas privadas e familiares. No entanto, acrescentou, neste momento já há vários cancelamentos de eventos agendados. No seu entendimento são correctas todas as restrições, pois têm por foco a protecção das pessoas. Este jovem acrescentou que ao longo da semana em Almada, a sua zona de residência, alguns cabo-verdianos foram fazendo as suas vidas normais, entre os cafés e rotina de casa / trabalho, mas que agora, em função das restrições, há muito menos movimentação. 

Existem outras pessoas que, por natureza dos seus empregos, vão ter que continuar a se deslocar para o local do trabalho. Como é o caso de Licinha Fonseca, residente na margem sul do Tejo. Esta cabo-verdiana que trabalha em Lisboa como cuidadora de uma idosa de 104 anos de idade disse que não terá quarentena. “Vou mantendo-me no trabalho com todos os riscos decorrentes do facto de ter que utilizar os transportes públicos todos os dias” frisou.

Quanto à quebra no rendimento na sua atividade que faz enquanto fornecedora de pastéis de milho a vários bares e cafés, cujos proprietários são cabo-verdianos, disse não ter sentido qualquer diferença decorrente desta crise. Indica que houve apenas alguns pequenos cancelamentos de pedidos para festas familiares, aniversários e batizados.

Albertino Cruz (Titino), proprietário de um Café na cidade do Cacém (Concelho de Sintra) disse que se vai mantendo de portas abertas, mas com alguma apreensão, visto ser a única forma de subsistência que dispõe. Admite, por outro lado, não ser sensato colocar a sua vida e o da própria família em risco de contaminação. “Tendo em conta a propagação da pandemia do Covid-19, e com a proporção que a situação está a tomar, o fecho será quase inevitável” disse, aparentando um ar um pouco preocupado.

Músico fica em casa sem apoio

O conceituado baterista e percussionista cabo-verdiano José Lopes, mais conhecido por Blimundo, que há dias se encontra em auto quarentena, disse sentir-se sem apoio de quem quer que seja. “É que a minha atividade reside em espetáculos e actuações musicais na via pública enquanto ganha-pão e não estamos, pelo menos falo por mim, protegidos por nenhum apoio social” fez saber Blimundo. Sobejamente conhecido aqui em Portugal e em Cabo Verde, este artista natural de S. Vicente já atuou com vários músicos de renome. Referiu ainda que há que ter em consideração em primeiro plano a saúde publica, só depois o interesse pessoal.

Blimundo enalteceu as medidas tomadas em prol da vida do cidadão e disse que vai se manter em casa, estabelecendo contacto com os familiares e amigos através das redes sociais. O baterista é um dos co-fundadores do extinto conjunto “Os Gaiatos” juntamente com Tito Paris, Dudu Araújo, Bau, o falecido Biús, Jean-Pierre e Pirilass.

Comportamento negligente

A depreender da afirmação dos nossos entrevistados muitos continuaram a levar a sua rotina normal, pelo menos até o início da semana em curso. Porém, como dizem alguns proprietários desses bares, cafés e restaurantes pertencentes a cabo-verdianos, terão abdicado das suas vidas sociais. 

A opinião de alguns cabo-verdianos radicados em Portugal não é uniforme; há divergências em relação à forma como os elementos da comunidade se têm relacionado com a situação da pandemia do Covid-19 no país de acolhimento, onde já foi declarada “emergência pública”.

Na decurso desta reportagem realizada por meios alternativos, por não ser possível realizá-la pessoalmente a um grupo de cabo-verdianos de diferentes categorias profissionais, alguns consideram que muitos não têm a consciência da realidade deste vírus.

Ângela Rosário, empresária e proprietária de um café na zona do Barreiro, foi mais taxativa ao afirmar que a maioria tem adotado comportamento “negligente”. Muitas pessoas, diz, continuam a viver sem a mínima preocupação para com os cuidados mínimos necessários.

Jorge Ferreira, conhecido por Djodje Tela, residente em Belas, critica por seu lado a forma como o cabo-verdiano tratou o assunto do aparecimento do vírus no mundo e a sua entrada em Portugal. “Como é sabido, o nosso povo é um pouco relaxado e brincalhão. Sem ter a verdadeira noção do problema, há sempre alguma brincadeira como frases do gênero ‘os pretos são fortes’, ‘vamos descê-lo (o coronavírus) com um grogue ou com um cancan’ (tabaco em pó)”, anotou Djodje de Tela, que neste momento apresenta algum pavor em relação ao Covid-19. Enquanto trabalhador e sócio de um pequeno estabelecimento, está ainda preocupado com os salários e com o pagamento das contas. 

A cabo-verdiana Jandira Fonseca, funcionária de um banco francês em Portugal, reside na zona de Fazendas de Almeirim, confessa que a sua preocupação é mais no sentido de ver medidas capazes de conter o Covid-19 e proteger as vidas humanas. “Questões económicas só depois de tratarmos em primeiro lugar das pessoas e dos doentes.”

Em relação aos doentes cabo-verdianos que estão em tratamento em Portugal e, por alguns estarem na lista do grupo de risco, terão de ter cuidados acrescidos. André Gomes, doente renal transplantado, fez saber que segue todas as instruções de segurança. Os serviços do Centro de Acolhimento dos Doentes Evacuados (CADE) limitou os atendimentos, instruindo os utentes a enviarem as receitas e os relatórios médicos por via eletrónica.

A Embaixada vai promovendo orientações em relação aos doentes a seu cargo, para permanecerem em casa. Saídas só em caso excepcionais, como idas a farmácias e mercados e para curto espaço de tempo. A Unidade de acolhimento dos doentes evacuados do sistema não contributivo de Cabo Verde (UADE- CV) na margem Sul, que resulta de um protocolo de Gestão assinado entre a Embaixada de Cabo Verde e CRETCHEU – Associação cabo-verdiana de Almada – já elaborou um plano de contingência com vista a apoiar os doentes e acompanhantes nessa fase difícil da crise sanitária Global. 

Os doentes evacuados e seus acompanhantes não precisam de se preocupar com a deslocação à Embaixada para carimbar receitas e ter acesso a medicamentos, nem tão pouco para receber o subsídio mensal ou outras prestações, garante Ildo Rocha Ramos Fortes, Coordenador Operacional da UADE- CV. Esse responsável informa que o plano de contingência elaborado com o Presidente do CRETCHEU, Sacundino Flor já é do conhecimento da Embaixada de Cabo Verde, assim como todos os utentes dos cinco apartamentos  com capacidade para 30 pessoas. 

9.2 mil milhões de euros “contra” o Covid-19

O Governo Português anunciou um pacote no montante de 9.2 mil milhões de euros para fazer face ao impacto económico do Covid-19 em Portugal. Nesta questão, que pode dar alguma tranquilidade a alguns empresários e trabalhadores, colocam-se ainda interrogações quanto à forma como poderão ter acesso a esses apoios.

Erifica-se ainda um conjunto das linhas de crédito disponibilizadas através do sistema bancário com garantia do Estado, que vão alavancar três mil milhões de euros para as empresas mais afetadas pela (quase) paralisação da economia, devido a luta contra o coronavírus.

Em Portugal os infectados por Covid-19 elevam-se a mais de seiscentos casos de infectados tendo a registar já quatro mortes na Cidade de Lisboa. A Direcção-Geral de Saúde informou ontem de manhã que foram identificados mais 143 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Na nossa ronda e contatos não apuramos nenhum caso de cabo-verdianos que contraíram a infecção.

 5,043 total views,  2 views today

UniMindelo

UniMindelo adopta plano anti-Covid: Funcionários com máscaras e luvas, desinfectantes disponíveis nos corredores

A UniMindelo está a implementar uma série de medidas que visam diminuir os riscos de contágio pelo coronavírus Covid-19 dos funcionários e estudantes. Neste sentido, a universidade começou a disponibilizar aos funcionários potencialmente em risco – em particular os que laboram na Secretaria, Gabinete de Contínuos e Biblioteca – materiais de protecção individual, como luvas e máscaras. O estabelecimento, que recebe à volta de mil pessoas, decidiu ainda instalar dispensadores de álcool etílico – gel/desinfetante e vinagre nos locais de maior circulação de docentes, alunos e funcionários. Os equipamentos devem ser controlados todas as semanas.

A universidade criou igualmente uma sala arejada para funcionar como espaço de triagem de possíveis casos de infecção pelo novo coronavírus e estabeleceu um plano de encaminhamento para a Delegacia de Saúde dos suspeitos.

Este plano de contingência da UniMindelo está alinhado com as decisões emanadas pelo Governo e a Delegacia de Saúde de S. Vicente para combater a entrada e propagação do temível vírus em Cabo Verde e a sua implementação ficou sob a responsabilidade de uma comissão integrada por quatro pessoas. Este núcleo deve avaliar os riscos e aconselhar o estabelecimento de ensino superior sobre as medidas a tomar em cada momento.

Na sequência dessa atribuição, a UniMindelo já implementou algumas recomendações que apontaram para a necessidade de suspensão de aulas e estágios, o reforço da sensibilização junto da comunidade académica para a prevenção higiénica, cancelamento de deslocações ao estrangeiro em contexto de trabalho, assim como dos programas de mobilidade de docentes e estudantes. O estabelecimento acabou também por reforçar os meios informáticos e de videoconferência, para facilitar reuniões ou actividades académicas, e suspender os eventos públicos programados para esse espaço.

As medidas adoptadas até o momento terão em devida conta o evoluir da pandemia e estão a ser assumidas, conforme a UniMindelo, com a prudência e responsabilidade que o quadro exige.

KzB

 1,729 total views,  2 views today