Mindelo Cidade

Caso suspeito de coronavírus de São Vicente deu positivo

O caso suspeito de coronavirus na ilha de São Vicente deu resultado positivo, anunciou a pagina oficial do Governo. Com este, eleva-se para sete confirmado com covid-19 em Cabo Verde e o primeiro em São Vicente. 

Trata-se de uma mulher, de nacionalidade chinesa, que se encontrava em internada em isolamento no Hospital Dr Baptista de Sousa em São Vicente, revela o ministério da Saude, realçando que a paciente está “estavel”. “Os procedimentos previstos na abordagem de casos suspeitos e positivos foram e estão sendo cumpridos”, acrescenta, prometendo mais explicações para uma conferência de imprensa a realizar este sábado.

O primeiro caso registado em Cabo Verde, recorda-se, foi o turista inglês, de 62 anos, que acabou por falecer na ilha da Boa Vista. O companheiro deste cidadão também apresentou resultado positivo e foi evacuado para Inglaterra. Ainda na ilha das Dunas, uma cidadã holandesa de 60 anos testou positivo. Ela foi evacuada para o seu país. Um quarto cidadão, desta feita técnico nacional que trabalhava num dos hotéis onde estes turistas estavam hospedados, foi contaminado e ainda está hospitalizado. 

Na cidade da Praia foram registados dois casos activos. Um homem, que tinha estado de férias na Europa, e a sua esposa. Os dois ainda estão internados no hospital Agostinho Neto e são considerados estáveis. 

 3,236 total views,  16 views today

Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

Covid-19: Tribunais bloqueiam desafio de Bolsonaro ao isolamento social

Os tribunais brasileiros têm sido a grande força de bloqueio às tentativas do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, de contornar as medidas de isolamento social impostas em vários estados para atrasar a progressão da pandemia de covid-19. Uma contabilização do El País Brasil aponta para milhares de decisões judiciais de praticamente todas as instâncias que tentam garantir a política de contenção.

Ao Supremo Tribunal Federal (STF) chegou mais de 20 casos relacionados com a epidemia e o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) já emitiu 1145 decisões monocráticas, tomadas por um único juiz do tribunal e não pelo colectivo de juízes. Nos tribunais regionais são dezenas, diz o El País Brasil.

Um dos exemplos desta acção dos tribunais foi dado na quinta-feira por um juiz federal de Brasília que emitiu uma sentença provisória que exclui as cerimónias religiosas do conjunto de serviços “essenciais” que não devem ser proibidos durante o combate ao coronavírus.

Apesar de alguns sinais de que está a começar a aceitar a realidade do isolamento social, Bolsonaro mantém uma postura desafiante. Em entrevista à rádio Jovem Pan na quinta-feira à noite, o Presidente disse que pode sempre usar uma “canetada” para reabrir o comércio nos estados onde os governadores ordenaram o seu encerramento.

Bolsonaro também criticou pela primeira vez publicamente o seu ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que acusou de não ter humildade, embora tenha afastado o cenário de uma demissão. “Eu não pretendo demiti-lo no meio da crise, agora, ele é uma pessoa que em algum momento extrapolou”, afirmou o chefe de Estado.

O ministro da Saúde, que é médico, reforçou a necessidade de se tomarem medidas de isolamento, contrariando as opiniões manifestadas por Bolsonaro, que defende medidas restritivas apenas para os idosos ou doentes crónicos. Apesar de  estarem de lados opostos, Mandetta recusa criticar Bolsonaro e tenta alinhar o seu discurso com o do Presidente.

Em resposta às críticas de Bolsonaro, o titular da pasta da Saúde respondeu apenas que o momento é de “foco na doença”, em declarações ao site G1.

 616 total views,  2 views today

seguros

Indústria Seguradora desempenhará papel fundamental na retoma da economia pós-crise Covid-19

A indústria seguradora também sofre os efeitos adversos que começam a afligir a economia cabo-verdiana,  mas deverá desempenhar um papel fundamental na retoma da normalidade no período pós-crise Covid-19, conforme o presidente do Conselho de Administração da Impar Seguros, Luís Vasconcelos. Esta confiança é também partilhada pelo Director de Marketing da Garantia, Víctor Andrade, que admite a existência neste momento de alguma ansiedade e receio por parte dos clientes e colaboradores, até porque todos estão a aprender a lidar com esta situação. Este acredita, no entanto, na boa capacidade de resposta dos cabo-verdianos em relação a este momento especial.

O gestor Luís Vasconcelos enfatiza que esta esta é uma situação de excepção, talvez só comparável com as duas grandes guerras mundiais. Neste momento, diz, o foco passa primeiro por proteger as pessoas, os colaboradores, os clientes e restantes stakeholders. Isto porque, afirma, esta indústria está entre as actividades essenciais, que não podem parar, mesmo em Estado de Emergência. “Pode-se dizer que a indústria seguradora é um dos barómetros da Economia, sendo assim directamente afectada com os efeitos adversos que já estamos a sentir na economia cabo-verdiana.”

Segundo Vascincelos, o Covid-19 provocou uma travagem brusca na economia mundial e consequentemente na cabo-verdiana, a qual está ancorada no turismo. E a época de 2020 pode estar comprometida, pois, sendo a Europa a maior fonte de emissão de visitantes para o arquipélago, as previsões apontam para uma recessão com grande impacto na economia do país. “Embora seja difícil nesta fase dizer que o nosso PIB irá diminuir 5%, 10% ou mais, veja que o próprio Governo já fala de uma perda potencial de quase 18 milhões de contos em impostos devido ao bloqueio da economia resultante da pandemia da Covid-19. Com isso, pode-se inferir a ordem de grandeza do problema que todos nós iremos enfrentar, provavelmente o maior desafio das nossas vidas como há dias foi dito pelo nosso vice-Primeiro ministro.”

Menos rendimento, menor consumo

Perante esse cenário, o PCA do Grupo Impar lembra que “sofre a economia, também sofre a indústria seguradora” porque, com a diminuição do rendimento e do consumo, quer devido ao desemprego – que vai crescer -, quer por causa da redução temporária dos salários em consequências dos lay-offs em curso, vai abrandar a actividade económica. Logo, vai diminuir a matéria segurável e o volume de prémios das seguradoras.

Porém, apesar do previsível impacto, acredita que as empresas do ramo são dos sectores mais resilientes da economia mundial e desempenham um papel fundamental enquanto investidores de longo prazo, logo fundamentais para o suporte dos balanços de muitas indústrias mundiais. Têm assim um papel fundamental na retoma económica que irá ocorrer no pós-pandemia.  

Instado como exactamente o sector sentirá os efeitos do Covid-19, este não titubeou. “Desde logo, com a suspensão dos voos, diminui a carteira dos seguros de viagem e, com o encerramento temporário dos hotéis – com previsão mínima de quatro meses – e obrigatório de outras actividades económicas, que levarão à diminuição do Seguro Obrigatório de Acidentes de Trabalho”, afirma.

Luis Vasconcelos – Ímpar

A este quadro, Luís Vasconcelos junta a diminuição do consumo e o encerramento dos hotéis que, afirma, baixará as importações e levará à diminuição dos seguros de transporte de mercadorias e dos seguros de responsabilidade Civil, que têm os prémios associados à facturação das empresas. E, com a diminuição da facturação das empresas e dos hotéis, os prémios desses seguros também irão diminuir. “Muitos investimentos serão adiados, logo não haverão todos os seguros que esses investimentos iriam necessitar.”

Para minimizar estas perdas, o CEO do Grupo Ímpar garante que a primeira decisão que vem à cabeça de um gestor é a contenção dos custos e o requacionamento dos investimentos. E, na Indústria Seguradora, não é diferente. Os momentos de crises, refere, tornam os gestores “mais racionais” na sua actuação, eliminando o supérfluo e concentrando-se no essencial, não esquecendo o papel fundamental da responsabilidade social das empresas e o apoio ao sistema nacional de saúde que, a seu ver, é um desígnio nacional do qual não poderão estar ausentes.

Confrontado sobre possíveis estratégias para reerguer a economia no pós-crise, este gestor cita a decisão da Impar, enquanto acionista, de não distribuir dividendos no Banco Cabo-verdiano de Negócios este ano, reforçando assim a capacidade da instituição, a qual será fundamental durante nesta fase de mitigação dos efeitos e crucial no pós-pandemia. Isso não obstante admitir que as medidas anunciadas pelo Governo são de “grande coragem” e irão mitigar os efeitos do apagão momentâneo na economia.

Estas medidas não abarcam directamente a Indústria Seguradora, mas esta irá beneficiar dos resultados dessa mitigação, diz. Luis Vasconcelos faz questão de frisar que o ramo segurador cabo-verdiano não precisava de nenhuma medida específica e que está capacitado para desempenhar o seu papel de corpo protector da sociedade. O mais importante por agora, diz, é o comprometimento dos cabo-verdianos na prevenção e salvaguarda do bem mais precioso, a vida.

Ansiedade e receios

Já o director de marketing da Garantia Seguros defende que se sente, neste momento, alguma ansiedade e receio da parte dos clientes e colaboradores, até porque todos estão a aprender a lidar com esta situação de Estado de Emergência. Exactamente por isso, enquanto empresa que “lidera o mercado” – não só a nível dos negócios, mas também no desenvolvimento tecnológico e na inovação -, a seguradora acredita que pode dar uma boa resposta aos cabo-verdianos através dos seus canais digitais e complementares. Logo, o apelo é no sentido destes – clientes e colaboradores – utilizarem o My Garantia, o Garantia Mobile, o www.garantia.cv, o garantia@garantia.cv, o telefone, as redes sociais, cumprindo assim os desígnios  #JuntosNaPrevenção #NuFikaNaKasa.

Victor Andrade – Garantia

Confiante, Victor Andrade prefere não falar em impactos, para além da tendência que já se começa a registar de uma diminuição do movimento nas agências e do aumento da utilização dos canais digitais. “Com o eclodir da pandemia, a nossa principal e primeira preocupação foi no sentido de ativarmos o Plano de Contingência, colocando os nossos colaboradores em regime de teletrabalho e simultaneamente garantir a mesma qualidade de serviço, eficiência e eficácia. Temos conseguido isso sem sobressaltos graças a nossa forte vertente inovadora de base tecnológica.”

Este responsável de marketing não descarta possíveis prejuízos no sector dos seguros, lá mais para frente. No entanto, admite que a Garantia terá de reajustar alguns variáveis do ponto de vista do negócio, tendo em conta a conjuntura actual e o cenário de incerteza. Até lá, enquanto seguradora com a missão de garantir segurança e proteção, principalmente das pessoas, e com forte envolvimento com a comunidade, através da sua política de responsabilidade social, mostra-se disponível para apoiar o Governo naquilo que for possível para juntos lutarem esta guerra pela vida.

Por isso mesmo, a Garantia também não definiu nenhuma estratégia pós-crise. “Esta crise coloca-nos a todos perante uma grande incerteza, pela sua duração e pelos efeitos. Estamos a acompanhar a situação e a tomar as medidas que se impõem em cada momento, com um forte apoio do Grupo Fidelidade a que pertencemos e que tem operações em quatro continentes. Para já, a nossa preocupação está centrada nas pessoas e em garantir que continuamos a cumprir com o que os cabo-verdianos e o país esperam da sua seguradora de referência e líder”, reforça Víctor Andrade.

Em relação às medidas de incentivo divulgadas para o sector financeiro nacional, este realça que são direccionadas para a banca. Este admite, entretanto, que tem havido o diálogo necessário, quer com o Governo, quer com o Banco de Cabo Verde, enquanto regulador do sector segurador para se tomar as medidas necessárias ou possíveis face aos cenários que se perspetivarem. Um exemplo recente, diz, foi a sensibilização do BCV para que a Polícia Nacional não coloque entraves na aceitação dos comprovativos e recibos de pagamentos feitos nos canais digitais.

“Neste momento diria que, para evitar mal maiores, temos de estar seguros. Manter os seguros em dia  seja em que momento for é um principio básico de proteção e segurança social que evita males maiores”, assevera Andrade, que aproveita para dizer aos cabo-verdianos para não se precipitarem em socorrer-se de anulações de seguros, principalmente no ramo automóvel, por suas viaturas estarem paradas. Isto porque, para além de poderem precisar delas, o seguro pode evitar males maiores e a “Garantia está aqui para apoia-los e garantir que a vida não pare”.

Constânça de Pina

 612 total views,  4 views today

Cidade da Praia

Mais um dia sem novos casos de covid-19: Cabo Verde equaciona descentralizar a realização dos testes

Cabo Verde voltou a não registar nenhum novo caso de infecção de coronavírus. Outra boa notícia avançada hoje pelo Director Nacional da Saúde é que o caso suspeito do Sal, que se encontrava pendente, deu resultado negativo. No entanto, há dois novos casos suspeitos, um na Praia e outro na Boa Vista, isso numa altura em que o Serviço Nacional da Saúde enfrenta constrangimentos para levar as amostras para Praia devido a dificuldade de transportes, o que leva as autoridades a equacionar realizar testes nas ilhas. 

“Queria informar que estamos neste momento num processo de reorganização de toda a nossa logística em termos de transporte de amostras e de testes para várias ilhas e de reorganização da componente laboratorial para podermos dar vazão a eventuais demandas que possam exigir uma maior resposta”, justificou Artur Correia, na sequência das dificuldades registada nos últimos dias de envio das amostras para a ilha de Santiago.

É o caso, por exemplo, de uma amostra recolhida a um suspeito na ilha de São Vicente há dias, que deverá seguir para Praia na noite desta quinta-feira. Também as amostras aos seis casos suspeitos da Boa Vista ainda não chegaram à Capital por dificuldade de transporte, numa altura em que começa a chegar ao final o período de quarentena de pessoas confinadas em hotéis e é preciso estar preparado para uma maior demanda de análises. 

Sobre este particular, Correia referiu que, na cidade da Praia, estão em quarentena domiciliar um total de 127 pessoas. Isto significa, afirmou, que centenas de pessoas estão livres de infecção por coronavírus. “Neste momento temos 127 pessoas em quarentena domiciliar na Capital e 224 nos hotéis”, indicou.

No Sal, estão em quarentena em casa 96 pessoas e 70 nos hotéis, enquanto que em São Vicente continuam 12 casos em residências. Nas restantes ilhas, o número de pessoas em quarentena é residual. “Isto é uma boa notícia, mas gostava de alertar as pessoas para não baixarem a guarda”, disse Correia, que voltou a pedir às pessoas para seguirem as orientações das autoridades sanitárias, sobretudo agora, com o aproximar das festas da Páscoa. 

Correia informou ainda que neste momento estão a ser criadas condições para a realização de testes nas ilhas. E já há algumas luzes. “Estamos em contacto com o Fundo Global e com as Nações Unidas para a aquisição de testes que podem ser utilizados nos aparelhos que temos em várias ilhas. Foi desenvolvido um teste que se adapta a estes aparelhos que temos para o combate à Tuberculose e ao VIH. Podem ser utilizados para Covid-19.”

Neste sentido, de acordo com o DNS, Cabo Verde já encomendou, via Fundo Global e brevemente via Nações Unidas, esses testes. A expectativa é de que em breve a aplicação deste novo teste possa ser feita em outras ilhas. 

De recordar que Cabo Verde tem até o momento três casos confirmados de infecção por coronavírus, sendo dois na cidade da Praia e um na Boa Vista.


 1,456 total views

Coronavirus

Três cabo-verdianos infectados com coronavírus em Espanha

Três emigrantes em Espanha estão infectados com o coronavirus, informou o embaixador nacional naquele país à RCV. Em Espanha, o segundo país europeu mais fustigado por covid-19, residem mais de seis mil cabo-verdianos. 

Segundo diplomata Ney Cardoso, duas dessas pessoas estão internadas e uma terceira já teve alta médica e está a recuperar em casa. O representante de Cabo Verde em Espanha informou ainda que a Embaixada soube ontem que surgiram dois novos casos suspeitos entre cabo-verdianos residentes em Madrid, mas os testes realizados acusaram negativo.

A Espanha, refira-se, registou nas ultimas 24 horas mais de 864 mortes, o valor mais alto num só dia desde o início da pandemia e o quinto dia consecutivo com mais de 800 vítimas mortais – e 7.719 casos de Covid-19.

O balanço de vítimas do novo coronavírus em território espanhol ascende agora a 102.136 infectados e 9.053 vítimas mortais. O país tem neste momento 5.872 doentes internados nos cuidados intensivos. 22.647 pessoas tiveram alta e estão curadas.

Espanha é o segundo país com mais vítimas mortais por Covid-19, só atrás de Itália, que contabiliza  12.428. Nesta altura, o tratamento de doentes graves está em risco em seis das 17 regiões autónomas. 

 998 total views,  4 views today

Brasil

Covid-19: Mais de 150 brasileiros estão retidos na Tailândia

Mais de 150 brasileiros estão retidos na Tailândia, na sequência do cancelamentos dos voos por causa do coronavírus. A Embaixada do Brasil em Bangcoc está tentando organizar um voo fretado para a repatriação desses brasileiros. A representação diplomática diz ter conhecimento de  pessoas retidas também em Laos e Camboja. 

“Ainda não está confirmada a autorização de contratação do voo pelo governo brasileiro. Estão sendo estudadas as formas mais eficientes de realizar a operação”, explicou a embaixada em nota. “Não há previsão de datas, mas considera-se que uma possível confirmação oficial ainda levará dias”, acrescentou.

O Itamaraty alerta que serão consideradas para o embarque somente as pessoas que preencheram o um formulário oficial da Embaixada. Entre os retidos há um grupo  que viajou para fazer um curso de meditação na Tailândia há cerca de duas semanas, quando a propagação do covid-19 ainda não parecia ameaçar o país. Tudo seguia bem até que chegou um aviso de que o voo de volta no sábado, 28, estava cancelado.

Mariana Carvalho, de 28 anos, já deveria ter voltado ao trabalho na segunda-feira, 30, mas ainda não sabe quando conseguirá embarcar para Três Rios (RJ), onde mora atualmente.“Recebemos um comunicado no dia 25. Cancelaram o voo e disseram que iriam parar de operar. Teve gente que não recebeu o comunicado de cancelamento e chegou a ir ao aeroporto”, conta esta mineira.

Diante da falta de resposta da companhia aérea, Mariana, que está acompanhada pela mãe, comprou passagens de volta para as duas por outra companhia por R$ 10 mil cada uma, mas nem assim está segura de que voltará no sábado, 4. “Eles cancelaram o voo do dia 2 e os passageiros estão sendo remanejados. Está todo mundo nessa incerteza. Não sei se o nosso voo está mantido ou não”, afirma.

Mariana conta que é difícil ter acesso às informações sobre a situação da pandemia no país, que recebe muitos turistas e tomou medidas de restrição de voos em uma tentativa de evitar a propagação do Sars-Cov-2. “A situação está relativamente sob controle no país. Falamos inglês, mas não é algo que ajude muito. Nós nos comunicamos muito por mímica, porque é difícil achar quem fale inglês e quando falam têm uma maneira muito própria, que dificulta a compreensão.”

Na casa, o grupo mantém uma rotina: medida duas vezes por dia, faz as refeições juntas e divide as tarefas. A líder, a terapeuta Luciana Fiel, tinha previsto voltar para a Índia, onde mora, e de lá seguir para o Brasil para visitar a família. Os foram cancelados e Luciana aguarda ajuda da embaixada brasileira para encontrar um voo que a leve direto ao Brasil.

C/Globo.com

 188 total views,  2 views today

telefone

Linha Verde – Protecção Social já está disponível

Já se encontra disponível a Linha Verde-Protecção Social para dar assistência aos beneficiários das medidas de protecção sociais anunciadas pelo Governo e que visam o combate à propagação da pandemia do covid-19. Assim, a partir de hoje, 02 de abril, as pessoas já podem telefonar para o numero 800 52 00 para pedir informações relacionadas com o Rendimento Social de Inclusão Emergencial, Rendimento Solidário e sobre o Cadastro Social Único Provisório.

As chamadas são grátis e serão atendidas no horário normal de expediente, ou seja, das 08h à 17 horas. Em nota, o Executivo explica que, o Rendimento Social de Inclusão Emergencial pretende alargar, de forma urgente e temporária, a mais de 2.788 agregados familiares, uma renda mensal de 5.500 escudos, na mesma linha dos 4500 agregados incluídos no projeto RSI. “São candidatos a esta medida os agregados familiares classificados no Cadastro Social Único (CSU) no grupo 1 das famílias em situação de pobreza extrema e que incluam no seu seio pelo menos uma criança de idade máxima de 15 anos. A inscrição no CSU é condição obrigatória para serem considerados para tal benefício”, revela. 

Já o Rendimento Social, prossegue, inclui os trabalhadores do Regime Especial das Micro e Pequenas Empresas (REMPE), trabalhadores por conta própria do setor informal da economia não pertencentes ao Regime REMPE, trabalhadores das empresas privadas não inscritos no Instituto Nacional de Previdência Social. E ainda  os trabalhadores dos jardins infantis e creches privados não inscritos no INPS, que tenham rendimento médio mensal inferior ou igual a 20 mil escudos. Outros critérios têm a ver com a impossibilidade do exercício da sua atividade face ao Estado de Emergência e com a apresentação de Declaração de Rendimento enquadrável, havendo ainda a obrigatoriedade de inscrição no Cadastro Social Único (CSU). 

“Estes trabalhadores receberão a quantia de 10 mil escudos durante um mês, que será depositada por transferência bancária pelo INPS para os do REMPE, e pelo Ministério da Família e Inclusão Social/Tesouro para os não pertencentes ao REMPE. Serão aplicados critérios de priorização dos agregados familiares tendo em conta as suas vulnerabilidades”, acrescenta. 

Relativamente a inscrição no Cadastro Social Único, refira-se, é condição primeira e obrigatória para a obtenção dos referidos benefícios e que tal inscrição pode ser feita online, através do formulário de pré-inscrição CSU, realizando-se assim um Cadastro  Social Único Provisório, ou através da Linha Verde 800 52 00_proteção social. 

 322 total views

covid19-2

Covid-19: Morre cabo-verdiano de férias em Portugal

Morreu esta manhã na cidade do Porto, um indivíduo de 78 anos, natural da ilha de Santiago, vitima do novo coronavírus. José Monteiro  tinha se deslocado à Portugal, antes do encerramento das fronteiras em Cabo Verde para visitar a família. Os familiares estão sintomáticos. 

Esta informação foi confirmada à RCV pelo embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, que adiantou ainda que alguns familiares que conviveram com a vitima também apresentam sintomas que deixam antever que poderão estar também infectados com a doença. 

“A vítima mortal é um cabo-verdiano da ilha de Santiago, residente em Cabo Verde. Segundo informações colhidas, a morte pode estar associada também a outras patologias, que terão agravado os efeitos do covid -19”, referiu Eurico Monteiro. 

Este garantiu ainda que a embaixada de Cabo Verde já entrou em contacto com os familiares da vitima para apresentar condolências e para disponibilizar todo o apoio possível. 

“Lembro outros cabo-verdianos, familiares de José Monteiro, no caso concreto uma filha e um outro parente próximo, estão com sintomas, pelo que há neste momento uma suspeita de que poderão estar infectados”, acrescenta o diplomata. 

 327 total views,  4 views today

Combustiveis

Todos os combustíveis com descidas acentuadas: Gasolina baixa 22,9% e petróleo 23,6%

Todos os combustíveis sofreram baixas acentuadas desde as zero horas de hoje, com maior incidência para a gasolina e o petróleo cujos preços diminuíram 22,9 e 23,64%, respectivamente. Com esta redução, hoje a gasolina está a ser vendida por 93,30 escudos o litro. 

A nova tabela divulgada pela Agência Reguladora Multisectorial da Economia (ARME) revela que o gasóleo normal está a ser vendido por 77,70 escudos o litro (-17,69%), o gasóleo para electricidade 62,50 escudos o litro (-21,09%) e o gasóleo para marinha a 52,40 escudos o litro (-21,67%). O Fuel 380 custa 54,70 Esc/L e o 180 57,40 Esc/L.

O Gás butano está a ser comercializado a granel por 110,70 escudos o quilo. Com isso, neste momento os consumidores pagam 316 escudos por uma garrafa de 3Kg, 664 escudos por uma de 6 kg, 1.384 por uma de 12 kg e 6.091 por uma de 55 kg. Significa que, quem correu para armazenar garrafas de gás em casa agora deve estar a lamentar. 

Segundo a ARME, que cita os dados publicados no Platts European Marketscan e LPGasWire, os preços médios dos combustíveis nos mercados internacionais, cotados em USD/ton, para dizer que, durante o mês de março es apresentaram descidas significativas durante o mês de Março (de 7, 75%), relativamente ao mês de fevereiro.

A gasolina e o petróleo diminuíram 22, 96% e 23,64%, respectivamente. Os preços do Butano, de Fuel 180 e Fuel 380 diminuíram 19,96%, 11,63% e 13,29%, respectivamente, o que corresponde, a uma redução média dos preços dos combustíveis de 18,99%, refere a ARME.

Março de ficou ainda marcado por uma tendência de descida das cotações do petróleo, num mês em que os mercados internacionais continuaram a seguir com preocupação a evolução dos efeitos na economia da pandemia causada pelo surto de covid-19, com consequências para sectores como o turismo e o transporte aéreo, o que tem reflexo directo na procura de combustíveis, acrescenta. 

A agencia lembra ainda que, conforme a resolução de 27 de Fevereiro, o Governo suspende, temporariamente, a aplicação do mecanismo de fixação de preços dos combustíveis prevista no Decreto-lei nº 19/2009 de 22 de Junho, no que concerne à fixação dos preços do Fuel 380 e do Fuel 180 de 01 a 31 de Março de 2020.

Os novos valores dos combustíveis regulados passam a vigorar de 01 a 30 de abril.

 295 total views,  2 views today

Nosofa Festival

Covid-19: Artistas residentes e na diáspora promovem “Nasofá festival”

O festival Nasofá é uma iniciativa sui generis de mais de 70 artistas nacionais, residentes e na diáspora e em sincronia, que terá lugar de 05 a 11 de abril e que visa proporcionar momentos de lazer às pessoas “presas” em casa por causa do coronavírus. 

Trata-se de um festival online de música kriola, que será transmitido do sofá de casa dos artistas para a residência do espectador. A ideia destes artistas é, juntos, inspirar todas as pessoas a combater e a vencer esta etapa que o mundo está a viver por conta desta epidemia, e Cabo Verde não é excepção. “A transmissão dos concertos será feita através das contas do Instagram de cada artista e as actuações terão a duração de 30 minutos cada”, referem os promotores, em comunicado. 

Este festival, dizem, foi inspirado em movimentos similares em Portugal, e não só, e visa unir forças e assim contribuir para o bem-estar das pessoas por estes dias. Esperam o envolvimento de instituições, empresas, organismos governamentais, associações e dos meios de informação físicas e digitais. “São muito importantes para que o impacto deste projecto seja grande e de real efeito, pois só com o envolvimento de todos será possível conseguirmos superar este momento e renascermos mais unidos e mais fortes”, acrescentam. 

Já estão confirmados artistas como Alberto Koening, Badoxa, Batchart, Blaka, Boss AC, Calema, Ceuzany, Dina Medina, Dino de Santiago, Djodje, Dynamo, Eder Xavier, Élida Almeida, Elji, Ely Paris, Fattú Djakité. E ainda, Gil Semedo, Jenifer Solidade, Helio Batalha, Lura, Mayra Andrade, Mirri Lobo, de ente outros. 

De acordo com a organização, a programação deste festival será divulgada nas contas oficiais das redes sociais do projecto nos próximos dias.

 345 total views,  2 views today